quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Heráclito e Análise do Comportamento

Gosto muito filosofia, dentre meus autores preferidos estão os pré-socráticos:

Leucipo, Demócrito, Parmenides e Heráclito.

Ficheiro:Heraclitus, Johannes Moreelse.jpg




Lendo Heráclito outro dia me deparei com muitas semelhanças entre alguns de seus pensamentos e o Behaviorismo Radical.

Dentre eles: O elemento metafórico Fogo presente em sua obra, que compõem todas as coisas, que simboliza a não-constância das coisas a não ser da própria mudança. "Só a constância na mudança".

O fogo é o elemento metafórico que Heráclito usa para explicar a mudança.
Skinner diz que o comportamento é sempre único e mutável e acontece enquanto relação, não a nada de estático no comportamento.

Mas o que mais representa semelhanças é a metáfora do rio:




"Não se pode percorrer duas vezes o mesmo rio e não se pode tocar duas vezes uma substância mortal no mesmo estado; por causa da impetuosidade e da velocidade da mutação, esta se dispersa e se recolhe, vem e vai".
91 Diels-Kranz

Não nascemos e nunca estaremos a parte do ambiente.











Somos frutos dessa relação e membros dela. 





Somos e sempre seremos relação, na linguagem de Heráclito "Fogo".










Como em Skinner, sempre a mudança em relações comportamentais, ninguém pode se relacionar com o mundo sem: 1) modificar o mundo, 2) ser modificado pela relação.




Nossa vida é um constante rio Heráclitiano, somos fruto de relações que se iniciaram desde o Big Bang, organismos frutos de relações com nosso ambiente físico que selecionou nossa anatomia e fisiologia na Seleção Natural, fruto de nossa história de relações operantes com nosso ambiente que nos deu um repertório comportamental unico e frutos de um ambiente Cultural que seleciona práticas culturais de seus membros.

Nada é nosso, mas tudo faz parte de nós.

2 comentários:

  1. otima postagem.... gostei muito desse texto....

    parabens.....

    ResponderExcluir