quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Como se desenvolve o repertório humano? Parte 1 Filogenese

Escrevo este série de posts para alguns amigos que gostaria de entender melhor a forma como os analistas do comportamento entendem o desenvolvimento da personalidade, ações e subjetividades humanas. Começarei com a parte que os críticos dizem que não reconhecemos, ou seja, a variável biológica.

As Variáveis Biológicas do Comportamento ou Filogenéticas
Para isso primeiramente devo ser claro sobre nosso posicionamento Darwinista, ou seja, nossa explicação é totalmente compatível com a ciência acumulada principalmente com a teoria da evolução por seleção natural em que:
A)     Acontece “Variação” em nível fisiológico e anatômico nos organismos devido ao:
1         – Processo de reprodução sexual que recombina o material genético dos pais em praticamente infinitas possibilidades.
2         – Variáveis ambientais que provocam mutações no material genético a ser recombinado (por exemplo, radiação, alimentação, etc.)
3         – A formação natural de variação em função da recombinação de genes ser um processo complexo gerando assim “aleatoriedade” ou “caos” natural.
B)      Esse organismo então passa a se relacionar com seu meio ambiente mutável, agindo:

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Jogo de Basquete entre Ratos na Universidade de Curitiba

Ratos aprenderam a jogar basquete e disputaram torneio em universidade de Curitiba
Ratos aprenderam a jogar basquete e disputaram torneio em universidade de Curitiba
22/12/2011 - 06h00

Ratos aprendem a jogar basquete e disputam competição em universidade de Curitiba

Daniel Neves
Em São Paulo
  • Comentários1
Eles roubam a bola do adversário, partem para a cesta e convertem enterradas. Mas não estamos falando dos jogadores da NBA ou do NBB. Os astros do basquete em uma universidade de Curitiba são ratos, que foram ensinados por alunos de psicologia a praticarem a modalidade e até disputaram uma competição, com direito a torcida na plateia.

Ratos aprendem a jogar basquete

Foto 6 de 10 - Fred Keller e Scheetos disputaram jogo amistoso em evento promovido por alunos de psicologia Rodrigo Henrique/Divulgação
O objetivo do trabalho experimental, realizado pela Universidade Positivo, foi o estudo prático dos princípios básicos de aprendizagem não-verbal, comum a todas as espécies. Tendo como exemplo trabalho similar realizado nos Estados Unidos, os alunos tiveram três meses para treinar ratos de laboratório na prática do basquete, em gaiola especialmente construída para a atividade.

“Queríamos algo que motivasse os alunos a participar do projeto, por isto a escolha de um esporte”, explicou o professor Hélder Gusso, coordenador do projeto. “Optamos pelo basquete porque precisávamos de uma modalidade que permitisse a disputa rato contra rato. Além disso, o rato é um animal muito ágil, que se movimenta para todos os lados e pode carregar pequenos objetos. Tudo isto fez com que optássemos por este esporte”.

Para ensinar os ratos a jogar basquete, os alunos tiveram que agir por etapas. Através de gratificação imediata, os animais aprenderam a associar a comida com um estimulo sonoro, que no estágio seguinte passou a ser utilizado a cada ação correta. “Quando ele ouve o barulho, sabe que fez a coisa certa e recebe o alimento”, comentou Gusso.

Ratos aprendem a jogar basquete em Curitiba - 3 vídeos

Documentário mostra o processo de treinamento dos ratos
Compartilhe este vídeo:
Desta maneira, os ratos aprenderam a interagir com uma bolinha colocada na jaula e, em passo posterior, a colocá-la dentro da cesta. “No início os aros foram postos na altura do chão, para que a bolinha entrasse a cada esbarrão e eles percebessem que era a ação correta. Depois passamos a colocar a cesta cada vez mais alto. Por último, precisamos ensiná-los a interagir com outros ratos sem serem agressivos”, explicou o coordenador.

O resultado foi uma competição realizada no dia 1º de dezembro, que contou com cerca de 50 pessoas na torcida. A disputa premiou o rato que marcou mais cestas em 5 minutos e terminou com a emocionante vitória de Albert, que superou Elvis no estouro do cronômetro e venceu por 36 a 35. Também foi realizado um ‘amistoso’, em que Fred Keller (treinado por Gusso) superou Scheetos.
“A resposta dos alunos foi super bacana. Eles puderam aprender a trabalhar o lado experimental de forma mais sofisticada e se divertiram muito. Um bom terapeuta precisa reconhecer o comportamento do outro e manejar contingências apropriadas para ajudá-lo. Cada sujeito, seja humano ou animal, tem as suas características individuais. É necessário levar isto em conta para planejar como trabalhar com cada um”, disse Gusso.

O sucesso do evento faz com que os organizadores já planejem a segunda temporada da competição. Desta vez, porém, os ratos podem aprender uma nova modalidade esportiva. “Além do basquete, chegamos a pensar na sinuca. Até construímos um aparato para que os ratos pudessem jogar. Acho que deve rolar no ano que vem”, afirmou Gusso.



sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

1° Congresso Brasileiro de Terapias Por Contingências de Reforçamento

Para todos os que me acompanham, já me matriculei para ano que vem cursar no Instituto de Terapias por Contingências de Reforçamento (ITCR) um curso de Acompanhante Terapeutico, e pretendo assim que me formar na faculdade cursar a Especialização em Terapia Por Contingências de Reforçamento, uma modalidade terapêutica baseada na ciência do comportamento conhecida como Análise do Comportamento, e em sua filosofia o Behaviorismo Radical (ou Contextual).

Fazendo aqui a divulgação do congresso que ocorrerá ano que vem em Campinas:







Gostei muito do objetivo do congresso pois expressa a postura que um Behaviorista deve ter sempre:

"Estaremos reunidos durante dois dias ensinando e aprendendo. Não queremos atividades nas quais apenas se fala sobre as interações entre terapeuta e clientes. Queremos sim atividades nas quais se ensina como lidar com eventos comportamentais clínicos. O pressuposto é que o conhecimento envolve a relação indissociável entre teoria e prática".


Retirado do Site: http://www.congressobrasileirotcr.com.br/index.html
Maiores Informações: http://www.congressobrasileirotcr.com.br/index.html

terça-feira, 18 de outubro de 2011

O Nosso sistema sócio-econômico

Vídeo mostra de maneira didática e fácil como nosso sistema econômico-social funciona e quais serão as prováveis consequências se continuarmos neste caminho. Este vídeo também nos mostra como uma visão simplista e individualista de homem ou de sociedade não é capaz de entender as interrelações entre as "partes do sistema", sendo um ótimo exemplo de análise funcional do contexto cultural (Macro e Metacontingências, mesmo não usando esses termos pode se notar a forma de compreensão contextualista.

 Recomendadíssimo!!!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Evidências de que Ver e Ouvir são Comportamentos Operantes

Assista o vídeo abaixo, e escreva (ou memorize), qual fonema você ouviu primeiro.



Assista agora novamente só que de olhos fechados.



Você notou alguma diferença?

sábado, 15 de outubro de 2011

Feliz dia dos Professores

Um parabéns para aqueles que são os mais importantes em nossa cultura, e um dos menos valorizados!

Eu desejo que todos os dias sejam dias dos professores!!!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

A Análise Funcional da Mentira

De acordo com o Dicionário Escolar da Língua Portuguesa da Academia Brasileira de Letras (2008, p.849):

Mentir (men.tir) v. 1. Afirmar como verdadeiro o que é falso; dizer mentira(s); enganar, ludibriar: mentir a idade; O homem público não pode mentir à sociedade; Tinha o mau hábito de mentir. 2. fig. Dar margem a engano; induzir em erro; iludir, enganar: A estatística e seus números não mentem.

Mentira (men.ti.ra) s.f. 1. Afirmação contrária à verdade; engano, falsidade, falácia: Mesmo diante das provas o acusado insistia em suas mentiras. 2. Falsa aparência; ilusão, engano: Julgou ter encontrado o amor eterno, mas era mentira.

Mentiroso [ô] (men.ti.ro.so) adj. 1. Que habitualmente conta mentiras; mendaz. 2. Que é contrário à verdade; falso, enganoso: promessas mentirosas.



 

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Silas Malafaia chama blogueiros brasileiros de filhos do Diabo (e nós aceitamos a alcunha...rsrs)


Tirado do blog behaviorist lady: 

http://behavioristlady.blogspot.com/2011/09/video-silas-malafaia-chama-blogueiros.html

SEXTA-FEIRA, 23 DE SETEMBRO DE 2011


[Vídeo] Silas Malafaia chama blogueiros de "Filhos do Diabo"

O pastor e psicólogo (pois é, é o que dizem...) Silas Malafaia acusou blogueiros brasileiros de estar promovendo "calúnia e difamação contra homens de Deus". Propôs, então, um desafio aos blogueiros: se somos raçudos mesmo, que nos intitulemos "Filhos do Diabo".



#EuSouFilhodoDiabo

Por isso, se você tem um blog e acha o Malafaia um picareta, assim como qualquer ser que pare pra pensar direito por mais de dez segundos, junte-se a mim e faça o Capeta assumir a paternidade da blogueirada!


Em tempo: se o diabo é pai do rock e é pai dos blogueiros, então eu sou irmã do rock?

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Pombos podem ser críticos de arte?

Assistam a esse vídeo super legal



Seriam os pombos críticos de Arte?
Teriam eles viés artístico?
Um dom inato?
Uma habilidade cognitiva ?

Ou apenas olhos com capacidade para distinguir profundidade e cores (e suas respectivas funções cerebrais ora bolas), e contingências de reforçamento de comportamento discriminado pelo estímulos complexo (ou conceito) Monet? (assim como a dos humanos artistas!)

Behaviorismo 1 x Mentalismo 0

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Movimento por uma Psicoterapia Baseada em Evidências

Quando você constrói uma casa, procura um engenheiro ou um arquiteto que fundamentam o projeto em uma sólida ciência matemática, física e geométrica, com eficácia comprovada.


Se seu carro quebra procura um mecânico com garantias de eficácia ao conserta-lo.


Se você está doente procura um médico que pauta seu atendimento em técnicas desenvolvidas pela ciência e com grau comprovado de eficácia.


Porque que diabos você procuraria alguém que não demonstra eficácia para tratar de algo muito mais importante, que são suas relações de vida?


Movimento por uma Psicoterapia Baseada em Evidências.


Pare de entregar sua vida nas mãos de quem não pode provar o que está dizendo.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

A visão Analítico Comportamental da Lógica.

Ultimamente, venho me deparado onde quer que exponho minhas idéias (me relaciono verbalmente sob o controle de conceitos), com uma dificuldade de inúmeras pessoas de pensar de forma lógica.
Mas afinal o que viria a ser a lógica? 


Aristóteles o "Pai" da Lógica.
Uma definição possível de lógica é a seguinte:

"Lógica (do grego clássico λογική logos, que significa palavra, pensamento, ideia, argumento, relato, razão lógica ou princípio lógico), considerada uma ciência formal, é o estudo formal sistemático dos princípios da inferência válida e do pensamento correto". (Wikipédia)

Ok, Ok, mas o que viria a ser Inferência, e o que a tornaria válida? 

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Lançamento da Revista Livre Pensamento



Olá a todos! Está oficialmente lançada a Revista Livre Pensamento número 1!
Nesta edição temos 4 matérias e 7 colunas, além do Editorial e das dicas para a internet, na forma de links.
A revista é livre: você pode lê-la online ou fazer download dela. Pode inclusive distribuí-la, imprimi-la, etc.
A primeira edição da revista foi diagramada e editada por Mário César Mancinelli de Araújo, presidente da Organização Livres Pensadores.  Abaixo estão todos aqueles que fizeram parte desta edição da revista.

Editores das Matérias:

  • Fábio Marton
  • Fred Lins Junior
  • Ligia Amorese
  • Mário César Mancinelli de Araújo

Colunistas:

  • Eder Juno N. Terra
  • Felipe Carvalho Novaes
  • Fred Lins Junior
  • Gustavo Melim Gomes
  • Kelly R. Conde
  • Ligia Amorese
  • Marcos Adilson Rodrigues Júnior
  • Mário César Mancinelli de Araújo
  • Wagner Kirmse Caldas
Para ter acesso à revista, baixá-la ou lê-la online, visite o site da Organização Livres Pensadoresneste link

Porque pensar requer coragem!

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Um exemplo divertido de controle de estímulos sobre o Comportamento de Escolher

Achei esse vídeo muito divertido na internet graças a minha amiga Michele,



Ele traz evidências (e provas) do controle de estímulos sobre o comportamento de seres humanos.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

O Estado Laico e sua importância. Campanha Livres Pensadores


Este texto é da minha namorada que está fazendo faculdade de Direito, achei que ninguém melhor do que alguém com pensamento de jurista para escrever sobre o estado Laico.

Aproveitem.

Por: Ana Maria Garcia Margonato
Devido a semana de postagens coletivas sobre o Estado Laico, acredito que a expressão de minha opinião a respeito do assunto não terá informações muito inovadoras, uma vez que, apesar de batante amplo o assunto, as conclusões são bastante parecidas. Li alguns textos que falavam a respeito, por sinal muito bons, e bem argumentados, e achei interessante expor também minha opinião sobreo assunto.
O Estado Laico é de extrema importância não apenas para a liberdade de crenças, mas também ao desenvolvimento social, econômico etc.
Em um estado religioso todo tipo de atrocidades em nome de um deus podem acontecer.

Um Estado não laico tem como predominante uma determinada religião, na qual todos os cidadãos são obrigados a seguir, juntamente com esta religião vem seus princípios, nos quais todos os cidadãos também precisam necessariamente compartilhar. A religião será responsável por decisões políticas, das quais afetaram consequentemente seus cidadãos.

Outro exemplo de estado Não-Laico ou Religioso o Islã.
Diante de tantas intervenções religiosas que podem ocorrer em um Estado não Laico, e as consequências trágicas que isso pode ocasionar, não vejo, em momento algum, motivos plausíveis para tamanha atrocidade ocorrer.
Um Estado Laico é um Estado igualitário, do qual possuí o dever de proporcionara todos seus cidadãos o mesmo tratamento, independentemente de sua religião, crença e idéias. A defesa do Estado Laico é de extrema importância, a sua existência proporciona esperança de progresso, sem liberdade para criar, expressar, discutir diferentes pontos de vista não há possibilidade de mudança, e sem mudança, fica dificil acreditar em algo! rs
Vida longa ao Estado laico!!!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Lei 12.433 Remição de Pena se o Detento Estudar: Um ganho enorme para a sociedade.

Por: Marcos Adilson Rodrigues Júnior
e Ana Maria Garcia Margonato


Está em vigor apartir de hoje (4 de Julho de 2011) uma lei que a meu ver, foi umas das melhores elaboradas este ano, a lei n° 12.433 que prevê que o condenado pode eliminar 01 dia de sua pena por  cada 12 horas de estudos, sendo estas horas divididas em no minimo 3 dias, ou seja, uma média de 04 horas de estudo diário. Até a presente data, o condenado apenas podia diminuir sua pena através do trabalho, do qual era computado 01 dia da pena a cada 03 dias trabalhados. O trabalho podia ser exercido apenas por condenados no regime fechado (período integral na penitenciária) e semi aberto (permanece preso apenas no período noturno).


Os condenado podem eliminar dias de pena ao estudarem, configurando assim uma excelente contingência de reforçamento negativo. 


terça-feira, 28 de junho de 2011

Nós somos Ateus Brasileiros!!!

Oi Pessoal, alguns daqui devem saber que sou ateu e já justifiquei meus motivos neste post. E alguns devem saber também que faço parte da comunidade dos Livres - Pensadores. Pois bem, baseados na campanha que aconteceu nos estados unidos:



Resolvemos criar o nosso próprio, desfrutem do vídeo e que isso seja uma motivação para que mostrem suas caras também!


Ateus Brasileiros ::2011:: from Fred Lins Junior on Vimeo.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

R. Brooks o novo "B.F.Skinner" da nova Robótica.


R. Brooks é um cientista da computação e engenheiro robótico especializado em I.A. (Inteligência Artificial)do M.I.T, que chegou por meios surpreendentes as mesmas considerações teóricas e metodológicas de B. F. Skinner, na área da Robótica.




quarta-feira, 8 de junho de 2011

Uma definição de Ser Humano por Cruz e Souza

Cavador do Infinito



Com a lâmpada do Sonho desce aflito
E sobe aos mundos mais imponderáveis,
Vai abafando as queixas implacáveis,
Da alma o profundo e soluçado grito.

Ânsias, Desejos, tudo a fogo, escrito
Sente, em redor, nos astros inefáveis.
Cava nas fundas eras insondáveis
O cavador do trágico Infinito.

E quanto mais pelo Infinito cava
mais o Infinito se transforma em lava
E o cavador se perde nas distâncias...

Alto levanta a lâmpada do Sonho.
E como seu vulto pálido e tristonho
Cava os abismos das eternas ânsias!

sábado, 4 de junho de 2011

Duas explicações sobre o mesmo fenômeno tem o mesmo valor?

Originalmente postado em: http://danielgontijo.blogspot.com/2011/05/explicacoes-diferentes-podem-ser.html

Vídeo excelente em que o pesquisador expõem o porque do relativismo epistemológico ser uma falácia, e de como o critério de verificação da verdade pragmatista é a melhor solução para explicações concorrentes.
Muito importante para o pessoal de ciências sociais e humanas que reproduzem esse tipo de falácia na academia, e nos mostra a importância de a combater.



sexta-feira, 3 de junho de 2011

Losing My Religion (Graveworm)

Música retrata de forma brilhante as sensações de ter uma ilusão pouco a pouco superada pelas experiências da vida. Um sensação que não é necessariamente ruim, mas libertadora. Como o acordar de um sonho.




quarta-feira, 1 de junho de 2011

Um pouco sobre a teoria do caos e a análise do comportamento. Uma abordagem não mentalista para a Criatividade.

Antes de ler o texto vejam os todos os vídeos abaixo:


BBC - A VIDA SECRETA DO CAOS - PARTE 1 por proforestes


BBC - A Vida Secreta DO CAOS - PARTE 2 por proforestes

BBC - A VIDA SECRETA DO CAOS - PARTE 3 por proforestes

BBC - A VIDA SECRETA DO CAOS - PARTE 4 por proforestes

BBC - A VIDA SECRETA DO CAOS - PARTE 5 por proforestes

BBC - A VIDA SECRETA DO CAOS - PARTE 6 FINAL por proforestes



O que a análise do comportamento pode aprender com a teoria do caos?

Muito, e acho inclusive que elas são complementares, e vou dizer o por que.

É dito nos vídeos que a ordem e a repetição e os padrões (geométricos) são apenas umas das possibilidades do caos e da auto-organização, se pensarmos bem, as respostas de um organismo nunca são as mesmas, elas sempre tendem a variar em alguma medida ou propriedade, e é de certa forma misteriosa entre a comunidade analítico-comportamental a “causa” desta variação, ou seja, não há nenhuma causa newtoniana, nenhuma variável externa que explique essa variação espontânea extremamente necessária para o algoritmo da seleção pelas conseqüências funcionar e possibilitar a construção e o desenvolvimento de novos repertórios no organismo.  

Experimentos em análise do comportamento inclusive já mostraram ser esta variação em si uma propriedade intrínseca do comportamento que pode inclusive ser transformada em comportamento e reforçada.

Chamarei aqui de Resposta criativa, ou Criatividade.

Nos estudos de (Cruvnel, 2002) feitos com golfinhos, ao invés de se reforçar determinadas topografias dos animais, como habitualmente é feito em modelagens simples, foi dispêndio o reforço a cada novo padrão comportamental que nunca havia ocorrido no repertório do organismo, ou seja, sempre que ele emitia uma resposta inédita (com bastante diferença topográfica) os pesquisadores reforçavam logo em seguida. Inesperadamente o animal começou a emitir respostas que nunca haviam surgido no repertório dele diferindo em muito de tudo o que os pesquisadores já viram.

Ou seja, o golfinho passou a ser criativo, o que eles estavam reforçando não era uma resposta topográfica especifica, mas a resposta reforçada era uma propriedade relacional do comportamento “o ser diferente”, eles estavam reforçando a auto-regulação do operante aumentando o nível de caos do responder.

Segundo a visão tradicional em Análise do Comportamento a criatividade é explicada como um padrão comportamental que teve valor evolutivo e foi selecionado via filogênese, mas segundo os dados obtidos na teoria do caos é o contrário, a criatividade é inerente ao operante, sendo a seleção por conseqüências um fator adicionado a posteriori, sendo a estereotipação do comportamento uma conseqüência dessa, e sendo essa inclusive ser selecionada e potencializada por reforçamento como se fosse uma resposta em si: “Mutações podem se tornar mais prováveis controlando-seum meio menos preciso ou encorajando perturbações” (Skinner,1999:386)

Podemos assim traçar um continum entre o comportamento estereotipado (ordenado) e o comportamento variado, em que o primeiro é só uma das possibilidades do segundo:

Clique para ampliar

O Comportamento sendo entendido como um sistema caótico, que produz regularidades graças ao algoritmo da seleção pelas conseqüências e essa em si pode potencializar o caos interno ao comportamento da mesma forma que o Feedback visual mostrado no vídeo.

A própria seleção pelas conseqüências é uma replicação das leis simples que regem a selação natural que é um algoritmo replicado ao infinito (podemos ver ele agindo em outros sistemas caóticos como metacontingências, e mesmo em sistemas informatizados).

As implicações desse tipo de visão, são importantíssimas em áreas como educação, empreendedorismo e saúde.

Podemos potencializar a propriedade caótica do comportamento para gerar variações no repertório de indivíduos que em si possam produzir conseqüências adaptativas que mantenham seu novo repertório.

E ao inverso, também se aplica podemos reforçar padrões comportamentais em pessoas em que a aleatoriedade esteja prejudicando sua qualidade de vida, e desenvolvimento social e econômico.

Esse processo vem acontecendo a milhões de anos e sempre vimos isso como uma falha ou irregularidade, sendo que é o fator principal para a evolução de qualquer sistema a existência dessa variação.

Podemos ver isso em nossa sociedade, a exigências de criarmos apenas “um” padrão correto ou certo, 1 método científico, 1 moral, etc, E isso é na verdade um caminho contrário ao sistema que possibilita a evolução dessa sociedade ou cultura, a variação. É somente quando existe um sistema caótico em operação e este é incentivado é que surgem padrões e soluções para problemas novos.

Podemos construir um mundo e uma sociedade em que utilizaremos o caos com um aliado, o utilizando para potencializar a as variações comportamentais, as valorizando, e assim aumentando a probabilidade de encontrarmos soluções para os intensos problemas dos quais enfrentamos.

Referências:


Cupertino, C.; Sampaio, T. P. de A. Existe criatividade? A visão do behaviorismo radical Encontrado em: http://www.nuted.ufrgs.br/objetos_de_aprendizagem/2009/criativas/midiateca/modulo_1/Criatividade%20na%20perspectiva%20Behaviorista.pdf